Buscar

Home Work e Coworking conquistam espaço nos empreendimentos residenciais

Atualizado: 11 de Out de 2019





Eu gosto de seguir tendências. Pesquisar, entender, refletir sobre como elas impactam a vida das pessoas, as relações humanas, os negócios e, claro, os projetos com os quais me envolvo. Olho para o futuro vislumbrando as possibilidades do que virá pela frente. Como engenheiro seria natural concentrar o foco nos novos materiais e técnicas de construção e pesquisar as tecnologias que já podem ser incluídas nos novos empreendimentos.


Tudo isso faz parte do meu processo de trabalho e de toda equipe envolvida em cada projeto. O que me impulsiona todos os dias é pensar em como esse novo contexto digital, conectado e ágil altera comportamentos e se reflete no estilo de vida das pessoas.


Esse é o ponto essencial na concepção dos projetos na Franzolin Engenharia e se concentra em perguntas como: quem vai viver nos nossos empreendimentos e quais são os novos hábitos que impactam a interação das pessoas com o espaço onde moram?


Nesse olhar para os novos comportamentos duas palavras se mostram cada dia mais relevantes: home work e coworking. Provavelmente você já está envolvido com essas formas de trabalho ou conhece alguém que atua nesse modelo mais flexível. As novas tecnologias apontam para um futuro do trabalho dominado por robôs e Inteligência Artificial, reduzindo a participação humana.


Mas o que temos como tendência imediata, decorrente dos avanços da transformação digital, é o crescente interesse pelo trabalho remoto, tanto por parte dos profissionais como das empresas. Elas já entenderam que essa forma de trabalho torna as pessoas mais felizes e produtivas. Ao mesmo tempo muitos profissionais especialistas optam por um trabalho mais flexível e quase sempre mais rentável. Um processo em que todos ganham e até por isso conquista cada vez mais espaço no mercado de trabalho.


As pesquisas confirmam a adesão ao trabalho remoto


O crescimento do home work no Brasil e no mundo pode ser constatado em muitas pesquisas e é com base nesses resultados que a tendência se confirma. O Report “Global Trends Talent 2019”, do Linkedin, aponta o trabalho flexível como uma das quatro tendências que vão moldar o mercado de trabalho nos próximos anos. A flexibilidade no trabalho e a capacidade de trabalhar remotamente são cada vez mais uma expectativa dos profissionais:


  • 72% dos profissionais entrevistados concordam que o trabalho flexível é muito importante;

  • nos últimos dois anos, houve um aumento de 78% nas vagas de emprego no LinkedIn que mencionam a flexibilidade do trabalho; e

  • no espaço de apenas quatro anos, houve um aumento de 24% no número de pessoas que afirmam que acordos de trabalho flexíveis são um fator muito importante ao considerar um novo emprego.

No Brasil o Ibope Conecta realizou a pesquisa “Information Worker”, ouvindo 1500 profissionais internautas que trabalham em empresas públicas e privadas. Os dados mostram que o home work também é muito utilizado por pessoas com emprego fixo e não apenas pelos profissionais que optam por atividades independentes:


  • os elementos que mais representam um ambiente de trabalho moderno para os profissionais são a flexibilidade de horário (68%) e a possibilidade de fazer home office (62%);

  • metade da amostra realiza home office pelo menos uma vez por semana, ainda que 83% trabalhe mais na empresa durante a semana;

  • 47% das pessoas realizam home office pelo menos uma vez por semana; e

  • 47% dos profissionais participam de reuniões remotas e, desses, 85% se sentem confortáveis com esse recurso.

Os dados da pesquisa SAP “Home Office 2018” também indicam o crescimento desse modelo de trabalho no Brasil:


  • 45% das empresas adotam o home office enquanto 15 % avaliam a possibilidade ou planejam a implantação e, entre os principais objetivos citados para a implantação do home office, 70% indicam a melhoria da qualidade de vida dos colaboradores.


Também não surpreende que os jovens da Geração Z demonstrem um crescente interesse pelo tema “Profissionais autônomos”. Conhecida como GenZ, de até 24 anos e sucessora dos millennials, essa geração já representa 30% da população e deve crescer cada vez mais em importância e influência. Pesquisa do Think Whith Google aponta que esses jovens se informam preferencialmente pelo Youtube, inclusive nas buscas para planejar o futuro:


  • o número de jovens da GenZ assistindo ao tema “Profissionais Autônomos” no Youtube cresceu 265% em um ano (2018 vs 2017)


A Tok&Stock segue esse movimento ao transformar seus espaços office em Coworking para os clientes. Como algumas tendências se juntam, eles inovam ao oferecer seus espaços para quem busca conexões reais, tema que abordei no artigo: "Empreendimento acompanham tendência por mais conexões reais".


Esses dados indicam novas e futuras necessidades que devem ser atendidas nos espaços dos empreendimentos residenciais. Se as pessoas vão trabalhar à distância, elas precisam de um lugar adequado para suas atividades profissionais.


Quem trabalha em home work já sabe: o cachorro late, as crianças brincam, a faxineira usa o aspirador, alguém liga o som mais alto.... Normal, a família tem uma rotina, enquanto você precisa fazer um call com o cliente, participar de uma reunião remota ou se concentrar em uma planilha.


A vida flexível com a qual você sempre sonhou quando decidiu pelo home office, com ou sem emprego fixo, nem sempre é tão simples quanto o planejado. Mas os incorporadores e arquitetos projetistas mais antenados já detectaram essa tendência e alguns empreendimentos residenciais já chegam com propostas inovadoras para atender a essa demanda dos moradores.


Os “meeting rooms” passam a completar as áreas de uso comum dos melhores empreendimentos, antes apenas destinados ao lazer e atividades sociais. Quem trabalha em home office pode ter um espaço de trabalho tranquilo, com apenas um toque no elevador. Sem trânsito, sem perder tempo para chegar em outro local e sem barulhos que atrapalham a concentração.


Tecnologias como Wifi e Bluetooth, café e água, mesas de trabalho e de reunião com cadeiras ergonômicas, trazem os benefícios do coworking para dentro dos empreendimentos, sem custos extras e com a possibilidade de compartilhar o espaço com seus vizinhos e talvez trocar experiências e fazer negócios com eles.


Um novo mundo se apresenta para os moradores dos empreendimentos construídos com a visão do futuro e o olhar atento aos novos hábitos profissionais de hoje e do amanhã.


Muito mais do que um lugar para morar, as pessoas querem um espaço para realizar atividades que combinam com seu estilo de ser. Eu construo como engenheiro apaixonado pelas obras, mas sempre penso nos projetos como espaços onde a vida acontece. Quer saber mais sobre o olhar que define todos os aspectos dos empreendimentos da Franzolin Engenharia? Siga nossos artigos aqui.


Acompanhe também nossas redes sociais: Facebook | Instagram | LinkedIn | Youtube


Luiz Augusto Braga Franzolin, CEO da Franzolin Engenharia